4.7.06

No quarteirão Mouzinho - Flores ...

... cuja reabilitação a S.R.U. Porto Vivo está a promover.

O quarteirão, no centro do Porto, constitui uma ínfima fracção da área de actuação da Porto Vivo que perdeu 50 000 habitantes nos últimos 20 anos.

Quantificando, para se ter uma ideia da enorme tarefa que a cidade tem pela frente, a área a reabilitar envolve 10 km2 em 8 freguesias, 18 000 edifícios e 47 000 alojamentos.

O documento de caracterização deste quarteirão, tal como o de Carlos Alberto e outros, deixou de estar em linha no sítio da Porto Vivo, impossibilitando a hiperligação a estas imagens.
________________
9 Agosto 2006

Erro meu. O Documento estratégico da Unidade de Intervenção Mouzinho Flores, está aqui, num pdf com 803 kb.
___________________


Frente Nordeste: Praça de Almeida Garrett, o edifício mais emblemático do quarteirão.


Frentes Nordeste e Noroeste: Praça de Almeida Garrett e Rua das Flores










Frente Noroeste: Rua das Flores




Dois pormenores de fachadas do outro lado da Rua das Flores


Frente Noroeste e Sudoeste: Ruas das Flores e de Trindade Coelho




Frente Sudeste: Rua de Mouzinho da Silveira


12 comentários:

  1. aquele edifício com azulejos verdes, na rua das flores...
    gostava de morar lá.

    ResponderEliminar
  2. Ernesto, a reabilitação pode ser a tua grande oportunidade ;)

    ResponderEliminar
  3. Este é um dos problemas do Porto: há demasiados lugares bonitos a precisar de reabilitação com respeito por esses lugares.

    Muitas vezes, quando se faz finalmente alguma coisa, é um palimpsesto, como se o passado precisasse de ser apagado. É que não é só no futebol que "nós" somos bons, a arquitectura portuguesa tradicional é lindíssima. A rua Mouzinho da Silveira, A Rua Álvares Cabral, a Rua das Flores,a Ribeira, Miragaia,etc, são belíssimas. Há que ter cuidado com o nosso património construído.

    Parabéns, Carlos, pelos blogues. Passarei a visitá-lo regularemnte. :)

    ResponderEliminar
  4. Caro amigo, àcerca da Rua das Flores, disseram-me o ano passado que tem as varandas, ferros forjados em maior quantidade e os mais bonitos da Europa.
    Quererás averiguar? creio que tens meios para o fazer, vontade e saber.
    Se assim fôr, devemos isso à cidade.
    Theo, atenta...sempre

    ResponderEliminar
  5. Não conhecia este seu outro blog. Vim ver e mesmo que não quizesse estou comovida. Comovida porque todas estas fotografias me fizeram recuar à infância e a perspectivas de lugares que existem no fundo da minha memória. Memórias de tempos essencialmente felizes.
    Obrigada mais uma vez

    ResponderEliminar
  6. Viseense12.7.06

    Loucura de Cidade!
    orgulho de Portugal

    ResponderEliminar
  7. Anónimo28.7.06

    Existem fotos que se repetem...Tenho algumas parecidas...Gosto do Porto mas sou de Lisboa...

    ResponderEliminar
  8. Anónimo31.7.06

    tenho que pena que não se possa viver no centro histórico ou na baixa. em todas as cidades europeias é evidente a preservação destas zonas. no porto parece que há sempre desprezo pelo centro e um desejo enorme de se viver nos arredores em condominios privados medrioques.
    claro que a desertificação da baixa se deve á câmara e neste momento não há condições de sobrevivência em tal zona.
    sempre vivi na foz e quando sai de casa dos meus pais tinha a ideia romântica de viver na baixa num apartamento modernista do inicio do sºec. xx. aguentei dois anos mas depois desisti. a insegurança, a falta de infra-estruturas, o medo de andar na rua depois da 20:00, os prostitutos por de baixo da minha janela a noite toda, os sem abrigo na soleira da minha porta, cenas violentas todos os dias...não aguentei e vim-me embora

    ana

    ResponderEliminar
  9. Anónimo31.7.06

    Parabéns pelo blog. Aí está a verdadeira cidade do Porto. A cidade que nunca preservou o seu património, que sempre promoveu o caos urbanístico e a exclusão social. A realidade é para ser vista tal qual como ela é.
    O Porto tinha todas as condições para ser uma das cidades mais bonitas do mundo se não fosse a mentalidade mesquinha , inculta e nova rica do poder autárquico. A desertificação da baixa é um exemplo: não há um cinema, um teatro, cafés (para além do majestic e guarany) restaurantes de qualidade, comércio atractivo enfim...pelo contrário, temos o macdonalds, lojas de chineses e a fnac a dar cabo de todas as livrarias que ainda restam e a promover a literatura pimba sem alternativas, e até mesmo um Rivoli transformado em teatro de revista pirosa quem sabe.

    ResponderEliminar
  10. Imagens fabulosas para recordar.
    Fotografias espectaculares com uma exemplar qualidade.

    Ainda bem que podemos usufruir delas também.

    Parabéns!

    ResponderEliminar
  11. Ó Romão, mas tu não páras?

    Mais uma vez, uma alegre surpresa e mais um link para o Akiagato.

    ResponderEliminar
  12. É tão fantástico que tenha tido a idéia e o trabalho de registar tudo isso em fotos. Diria que é um trabalho mais importante que a própria recuperaçao do espaço. Até pq, sempre desconfio dessas "recuperações" promovidas pelo interesse governamental e eleitoreiro a medio e longo prazos. Parabéns, novamente, que mais posso dizer?

    ResponderEliminar

Etiquetas

A Brasileira Avenida da Ponte Avenida de Vímara Peres Bairro do Aleixo Calçada da Corticeira Câmara Municipal do Porto Carregal Cinema Águia d'Ouro Clérigos Cordoaria Edifício Imperial Fontainhas Fontes do Porto Fontinha Grafismos Guindais Horrores urbanos à moda do Porto Jardim Botânico Largo do Moinho de Vento Largo do Terreiro Largo dos Lóios Livrarias Mamarrachos Mercado do Bom Sucesso Miragaia Monumento a António Nobre O chão surrado O Porto a oriente O Porto não é a Disneylândia O Rapto de Ganimedes Outros temas Pena Ventosa Polícia de Segurança Pública Ponte Maria Pia Porto Património Mundial Praça da Batalha Praça da Liberdade Praça da República Praça da Ribeira Praça de Almeida Garrett Praça de Carlos Alberto Praça de Gomes Teixeira Praça de Lisboa Praça do Infante Praça dos Poveiros Rua Barão de Nova Sintra Rua da Bainharia Rua da Madeira Rua da Ponte Nova Rua da Reboleira Rua das Flores Rua das Taipas Rua de 31 de Janeiro Rua de Álvares Cabral Rua de Ceuta Rua de Cimo de Vila Rua de Fernandes Tomás Rua de Gonçalo Cristóvão Rua de Miguel Bombarda Rua de Mouzinho da Silveira Rua de Passos Manuel Rua de S. Bento da Vitória Rua de S. João Novo Rua de S. Miguel Rua de Sá da Bandeira Rua de Sá Noronha Rua de Sampaio Bruno Rua de Santa Catarina Rua de Trás Rua de Trindade Coelho Rua do Almada Rua do Bonjardim Rua do Cativo Rua do Infante D. Henrique Rua dos Caldeireiros Rua dos Mercadores Rua dos Pelames Sem Abrigo Terreiro da Sé Travessa da Rua Chã V.N.Gaia Viela do Anjo Viela do Buraco Virtudes Vitória

Não deixe de visitar

Acerca de mim

A minha foto
Uma vida ao serviço da comunicação empresarial, como videógrafo, fotógrafo, designer e copywrighter.

Seguidores