11.8.11

O voo inglório de Ganimedes

Ganimedes era um príncipe de Tróia que Zeus, transformado em águia, raptou e possuiu durante o voo. Este episódio da mitologia grega está representado numa escultura que António Fernandes de Sá (1854-1959) executou em Paris em 1898. Fundida em Lisboa em 1914, aquela obra de arte estava na Praça da República.
Em Janeiro deste ano, no fim das comemorações do Centenário da República, a escultura foi substituída por uma figura feminina do escultor Bruno Marques, de homenagem à causa republicana, oferecida à cidade pela Fundação Engenheiro António de Almeida.




O Rapto de Ganimedes na Cordoaria

Não se contesta a mudança, mas sim o facto de O Rapto de Ganimedes ter voado para a Cordoaria com o vaso com que servia no Olimpo o néctar aos deuses, partido, e carregado da sujidade que acumulou durante dezenas de anos no Jardim de Teófilo Braga. Não haveria, nos dez milhões de euros que se gastaram na festança do regime, uns trocos para recuperar a belíssima obra de António Fernandes de Sá?

30.7.11

Trancas à porta

Na noite passada alguém partiu o vidro da porta número 44 da Rua de Ceuta, entrou no edifício e roubou parte das torneiras, dos cilindros de aquecimento de água e das canalizações. O prédio, projectado pelo arquitecto Agostinho Ricca em 1953 para o Montepio Geral, é composto por seis andares com seis apartamentos T6, que estão devolutos.





O tapete da entrada havia desaparecido há muito. Hoje de manhã, ao sol, entre manchas diuréticas e um cheiro nauseabundo, provenientes da cerveja emborcada na festiva “noite do Porto”, o proprietário procedia à protecção da entrada do prédio.



Não é apenas o Porto granítico, construído no século XIX, que está moribundo; a cidade do século XX, como pode ser verificado na Rua de Ceuta apontada como “um exemplo de bom gosto urbanístico”, está há muito no mesmo caminho. Até quando?

18.7.11

Más práticas e boas contas


Praça da Ribeira

Quem acompanha este blogue estará longe de imaginar que a Câmara do Municipal do Porto dispõe de um Gabinete de Arrumação e Estética do Espaço Público, composto por um «"conselho de administração” com duas vogais executivas, e mais três directores municipais».
Ignorará também que a Câmara estabeleceu um contrato no valor de 70 500,00 euros, por ajuste directo, com uma das vogais do dito gabinete, para «aquisição de serviços de desenvolvimento de um estudo de investigação, observação e identificação das intervenções implementadas ao longo de muitos anos na via pública da cidade do Porto, e a elaboração de um relatório de boas normas».
A ler, com atenção, na Sociedade Secreta de Reabilitação Urbana.

1.6.11

Réquiem pelo Mercado do Bom Sucesso



O dia começou mal no Mercado do Bom Sucesso. Uma decisão política, que só pode ter vindo da Presidência da Câmara do Porto, mobilizou a Polícia Municipal para impedir que a SIC e TVI exercessem o direito de reportar o fecho definitivo do mercado, o que provocou a indignação de alguns comerciantes. A questão acabou por se resolver da melhor maneira; aliviada a tensão inicial, as televisões fizeram o seu trabalho sem ser incomodadas.

Mas foi um dia triste e arrastado, com o desalento estampado no rosto dos comerciantes daquele espaço. O desmantelar das bancas e a desarrumação concediam ao belo mercado um ar de abandono. Uma surpresa estava, no entanto, para acontecer. Na hora do fecho uma notícia correu célere provocando um grande ruído de satisfação. A providência cautelar, interposta por um grupo de comerciantes no Tribunal Administrativo e Fiscal do Porto, adiou o encerramento do mercado.

Não fechando a 31 de Maio, o dia ficará, mesmo assim, marcado como o da morte do mercado, aquele em que o Bom Sucesso deixou de ser como o conhecíamos nos últimos tempos. Muitos dos comerciantes não voltarão amanhã, nem depois. E a decisão do tribunal só acautelará o direito de alguns deles virem a exercer a sua actividade; nada que impeça que, no local do mercado, venha a ser construído um centro comercial, um hotel e escritórios.





















Sobre o Mercado do Bom Sucesso veja:

- o blogue do Movimento Mercado do Bom Sucesso Vivo
- A Cidade Surpreendente

Etiquetas

A Brasileira Avenida da Ponte Avenida de Vímara Peres Bairro do Aleixo Calçada da Corticeira Câmara Municipal do Porto Carregal Cinema Águia d'Ouro Clérigos Cordoaria Edifício Imperial Fontainhas Fontes do Porto Fontinha Grafismos Guindais Horrores urbanos à moda do Porto Jardim Botânico Largo do Moinho de Vento Largo do Terreiro Largo dos Lóios Livrarias Mamarrachos Mercado do Bom Sucesso Miragaia Monumento a António Nobre O chão surrado O Porto a oriente O Porto não é a Disneylândia O Rapto de Ganimedes Outros temas Pena Ventosa Polícia de Segurança Pública Ponte Maria Pia Porto Património Mundial Praça da Batalha Praça da Liberdade Praça da República Praça da Ribeira Praça de Almeida Garrett Praça de Carlos Alberto Praça de Gomes Teixeira Praça de Lisboa Praça do Infante Praça dos Poveiros Rua Barão de Nova Sintra Rua da Bainharia Rua da Madeira Rua da Ponte Nova Rua da Reboleira Rua das Flores Rua das Taipas Rua de 31 de Janeiro Rua de Álvares Cabral Rua de Ceuta Rua de Cimo de Vila Rua de Fernandes Tomás Rua de Gonçalo Cristóvão Rua de Miguel Bombarda Rua de Mouzinho da Silveira Rua de Passos Manuel Rua de S. Bento da Vitória Rua de S. João Novo Rua de S. Miguel Rua de Sá da Bandeira Rua de Sá Noronha Rua de Sampaio Bruno Rua de Santa Catarina Rua de Trás Rua de Trindade Coelho Rua do Almada Rua do Bonjardim Rua do Cativo Rua do Infante D. Henrique Rua dos Caldeireiros Rua dos Mercadores Rua dos Pelames Sem Abrigo Terreiro da Sé Travessa da Rua Chã V.N.Gaia Viela do Anjo Viela do Buraco Virtudes Vitória

A cidade por datas

Não deixe de visitar

Acerca de mim

A minha foto
Uma vida ao serviço da comunicação empresarial, como videógrafo, fotógrafo, designer e copywrighter.

Seguidores