11.2.07

Turismo com hora marcada



24 comentários:

  1. Esta é uma daquelas edificações que eu considero mamarrachos. Porque é que se construiu este paralelipípedo, que faz (ainda mais) sombra sobre as ruínas da antiga Casa da Câmara e que fica quase "em cima" da Sé, ultrapassa a minha compreensão. E depois de o terem construído não sabem o que é que lhe hão-de fazer. O resultado está à vista.

    ResponderEliminar
  2. Caro Carlos,

    É curioso que passei pelo mesmo problema naquele dia, como deves imaginar. Fiquei sem o que dizer aos franceses.
    É, de facto, lamentável!
    Abraço,

    ResponderEliminar
  3. Cro Carlos... Os horários explicam-se: legislação do trabalho...

    Quanto ao edifício, falou-se muito pouco do mamarracho. Se tivesse sido o Rui Rio a decidir isso, caía o Carmo e a Trindade...
    Isso foi no tempo que o espírito crítico dos portuenses andava por baixo...

    ResponderEliminar
  4. É pior que um mamarracho.
    É um escarro, tem "meia duzia" de anos e tem um aspecto horrivel, velho, feio e estragado...

    ResponderEliminar
  5. Anónimo4.3.07

    Valha-nos "O Porto" e "Nossa Senhora" do mesmo!...


    Um abraço da

    Maria Mamede

    ResponderEliminar
  6. Vê-se que prefere, de longe, a outra face. Aqui há sempre algo de novo. Ainda que esteja aparentemente in a smoother way nestas paragens. O autor nem precisa dizer nada, é pôr as fotos em linha e aguardar os comentários. Trabalho de crítica/crônica social a muitas mãos.:) Bem pensado e produzido.

    ResponderEliminar
  7. bom dia dia de olhar a tua POESIA.


    __________________

    ResponderEliminar
  8. Caro Blogger!Nunca comento mas visito muito.Passe no meu Blog pois atribui-lhe um selo chamado Thinking Blogger Award.Parabéns por me mostrar na Internet uma cidade que vive sempre comigo.

    ResponderEliminar
  9. Parabéns pelo SELO que conferiu, Belinha, muito justamente. Ótimo blog. Queremos mais...muito mais. Abçs

    ResponderEliminar
  10. Boa tarde. Adorei os teus blogues e acho que ambas as faces da cidade estão muito bem retratadas em termos de espírito do que é a cidade do Porto. Sem falar que esta componente é muito boa para alertar para o que de mal está com a cidade.

    ResponderEliminar
  11. Da minha lista de blogues regularmente visitados faço cinco novos nomeados para o Prémio Blogue Com Tomates (a.k.a. No Fear Blog Award):

    1º Urban Stage (bonito, fresco, irreverente, só é pena que seja actualizado tão pouco); 2º Hugo Strikes Back! (pelo imaginário muito nipónico do País das Maravilhas); 3º Sound + Vision (um bom sítio para saber da música e do cinema de que gosto); 4º A Outra Face da Cidade Surpreendente (é impossível ficar indiferente a esta outra cidade); 5º Salsa & Pimenta (uma referência antiga, apesar de precisar de alguma outra frescura).

    Missão comprida, mas cumprida! Parabéns às vítimas...

    ResponderEliminar
  12. Marta2.7.07

    Boa noite,

    encontrei os seus dois blogs por acaso e devo dizer que fiquei apaixonada pelas fotografias e pelos temas! Sou portuense e estou a estudar em Aveiro e sinto imensas saudades do Porto, do porto que mostra no outro blog... Mas rejeito este, sei que ele existe, mas rejeito-o. Este edificio que nos fala o post é extremamente feio, sempre o foi e nunca vi ng a levantar a voz sobre ele... está abandonado e torna a cidade feia!

    Se podem demolir prédios por causa do programa polis (como em Viana do Castelo) porque não limpar este edificio da nossa cidade.

    Parabéns pelos Blogues!

    Marta Lino

    ResponderEliminar
  13. Bem lembrado, o caso deste elefante branco. Branco sujo.

    Lembro-me de ter ouvido alguém dizer por alturas da inauguração, que "isto agora pode parecer algo chocante, mas vão ver que com a patine do tempo o granito há-de ganhar outra dignidade". Pois o tempo já passou e só vejo o granito a ficar feio e sujo. Nada de digno vi ainda.

    Respeito imenso a memória de Fernando Távora, mas nunca compreendi o porquê da teima em levar esta torre a cabo. Ainda por cima para não servir de nada a ninguém. Nem aos desgraçados dos empregados que lá teriam que passar o dia, já que parece que ficou escrito que nem uma instalação sanitária para seu uso lá poderia ser colocada, para não desvirtuar o espaço interior.
    Depois, a estátua do Porto, lá colada ao vidro, voltada para dentro... Voltada para ninguém e nada.
    Pergunto-me que reais intenções teria o autor para ter feito tal lavoura.

    O mais triste de tudo é que a situação desta torre-fantasma nunca virá a ser corrigida. Rebaixar-lhe a cércea nunca será uma opção, porque é sabido que tudo o que tenha a mão de Mestre Távora é intocável. Veja-se o caso do pavimento circundante à estátua de Almeida Garrett, que escapou à fúria granítica de Siza Vieira somente por respeito ao Mestre. E se na grande maioria dos casos acho isso bem, neste... nem por isso.

    ResponderEliminar
  14. A alma da cidade do Porto é a nobilíssima pedra de granito. Apelidar de «fúria granítica de Siza Vieira» a restituição à Av. dos Aliados do pavimento que lhe era próprio é um tanto grotesco.Quanto à obra do Távora, olhem para ela antes de a maldizer. É uma marca de contemporaneidade que contrasta bem naquele espaço.
    Os meus sinceros parabéns pelas maravilhosas fotografias deste blog.

    ResponderEliminar
  15. caro c.c.

    Grotesco, para mim e a meus olhos, foi o que sucedeu à própria Avenida. Qualquer comentário meu nunca a ferirá tanto como já foi.
    Mas já estou cansada de debater este assunto com os inabaláveis admiradores de Siza. Não me alongo nesta questão, cada um que fique com a sua opinião, e pessoalmente só espero um dia viver para ver reposta a nobreza que a Avenida um dia teve.

    Sou completamente a favor da contemporaneidade. Mas tudo em seu local, e com a devida escala. Um exemplo bem melhor enquadrado na mesma zona da Sé é o maltratado - esse sim - mercado de S. Sebastião. Para além de lhe ser facilmente identificada a função, a sua inserção está discreta e no entanto eficaz. Aposto que a maioria das pessoas nem dá por sua presença. Está lá, cumpre, e não chateia.
    Para quê insistir em pôr-se em bicos de pés? O que é bom não precisa disso. E Mestre Távora certamente não precisava disto.

    ResponderEliminar
  16. Se não fôr pedir muito e se isso não te causar grande depressão, o que seria natural e aceitável, bem que gostaria de ver actualizado este blogue, já que é uma forma de protesto que pode ser muito útil à cidade...surpreendente.
    Bjs, th

    ResponderEliminar
  17. http://poetadoalem.blogspot.com/

    Cumprimentos

    ResponderEliminar
  18. <a href="http://m1.aol.com/IvySalas33/118_261007.html">overnight us meridia</a>26.10.07

    actually, that's brilliant. Thank you. I'm going to pass that on to a couple of people.

    ResponderEliminar
  19. Bom dia..

    Sou aluna de um colegio privado do Porto e estou a participar junto com alguns colegas num concurso a nivel nacional lançado pela sapo.

    O nosso objectivo é apresentar melhorias criativas para a cidade.

    Temos tambem que actualizar um blogue na plataforma sapo..

    este é o nosso endereço: http://invicta-criativa.blogs.sapo.pt

    gostariamos muito de contar com o seu apoio e divulgaçao!

    Quantos mais portuenses unidos mais força teremos!

    Contamos poder colocar o link deste blogue no nosso blogue até terça feira.


    Bom fim de semana,

    Ana Nunes

    ResponderEliminar
  20. Um ótimo blog! Parabéns!

    Abraços!

    ResponderEliminar
  21. Sorprendente blog.

    http://espejoquehuye.blogspot.com/2008/03/oporto.html

    ResponderEliminar
  22. É curioso como este blog estando parado, consegue atrair sempre visitantes. O 1ºcomentário é de 17/2/o7 e o último de 16/5/o8 com mais de 1 ano de intervalo. E eu que mais uma vez o revisito,tenho muita pena de não ver novas fotografias desta face da cidade de que infelizmente, abundam motivos.
    Só uma achega para o monumento do Távora e para quem não saiba,trata-se de restituir a «Casa dos 21» que era exactamente naquele lugar.
    Vá lá, não lhe chamem mamarracho; exijam é da Cãmara a sua boa apresentação e funcionamento; porque assim como está é uma vergonha!........

    ResponderEliminar
  23. os espaços edificantes não nascem, por raizes, nascem por projectos mascarados em hipocresia e interesses juntos no mesmo "saco"... todos temos consciência dele... mas como enfrentá-lo, o Carlos deu o primeiro passo, mas uma barreira existe antes de chegar "Ao Centro de Acolhimento (a)turistico"! pois querer, todos queremos...e como!!!

    ResponderEliminar
  24. Uma correcção; Casa dos 24

    ResponderEliminar

Etiquetas

A Brasileira Avenida da Ponte Avenida de Vímara Peres Bairro do Aleixo Calçada da Corticeira Câmara Municipal do Porto Carregal Cinema Águia d'Ouro Clérigos Cordoaria Edifício Imperial Fontainhas Fontes do Porto Fontinha Grafismos Guindais Horrores urbanos à moda do Porto Jardim Botânico Largo do Moinho de Vento Largo do Terreiro Largo dos Lóios Livrarias Mamarrachos Mercado do Bom Sucesso Miragaia Monumento a António Nobre O chão surrado O Porto a oriente O Porto não é a Disneylândia O Rapto de Ganimedes Outros temas Pena Ventosa Polícia de Segurança Pública Ponte Maria Pia Porto Património Mundial Praça da Batalha Praça da Liberdade Praça da República Praça da Ribeira Praça de Almeida Garrett Praça de Carlos Alberto Praça de Gomes Teixeira Praça de Lisboa Praça do Infante Praça dos Poveiros Rua Barão de Nova Sintra Rua da Bainharia Rua da Madeira Rua da Ponte Nova Rua da Reboleira Rua das Flores Rua das Taipas Rua de 31 de Janeiro Rua de Álvares Cabral Rua de Ceuta Rua de Cimo de Vila Rua de Fernandes Tomás Rua de Gonçalo Cristóvão Rua de Júlio Dinis Rua de Miguel Bombarda Rua de Mouzinho da Silveira Rua de Passos Manuel Rua de S. Bento da Vitória Rua de S. João Novo Rua de S. Miguel Rua de Sá da Bandeira Rua de Sá Noronha Rua de Sampaio Bruno Rua de Santa Catarina Rua de Trás Rua de Trindade Coelho Rua do Almada Rua do Bonjardim Rua do Cativo Rua do Infante D. Henrique Rua dos Caldeireiros Rua dos Mercadores Rua dos Pelames Sem Abrigo Terreiro da Sé Travessa da Rua Chã V.N.Gaia Viela do Anjo Viela do Buraco Virtudes Vitória

Não deixe de visitar

Acerca de mim

A minha foto
Uma vida ao serviço da comunicação empresarial, como videógrafo, fotógrafo, designer e copywrighter.

Seguidores